8 de abr de 2010

Experiências


QUANTAS CORES TÊM A TUA CANETA VIOLETA?
Material
• papel de filtro ou filtro de café
• canetas de feltro
• vários frascos de iogurte ou copos ou uma vasilha
• molas da roupa de plástico

A água separa as cores
Viste que a luz branca do Sol é formada por várias cores. E o que acontecerá com as tuas canetas de feltro? Também as conseguirás separar em diferentes cores?
Para chegares a uma resposta tenta fazer a seguinte experiência. Corta o papel de filtro (pode ser do papel de filtro para a máquina de café) em tiras longas com a largura de um dedo. Próximo de uma das pontas das tiras, pinta uma bolinha com uma das tuas canetas de feltro. Pinta bolinhas de cores diferentes nas várias tiras de papel que cortaste. Deita um pouco de água no fundo dos frascos, copos ou vasilha e coloca as tiras de papel lá dentro encostadas de modo a que apenas a ponta da tira fique na água (e não a parte pintada). Podes prendê-las com uma mola ao copo ou à vasilha para elas não caírem. Podes entretanto fazer outra coisa, mas, de vez em quando, espreita o que se está a passar.

O que observas?
É verdade, alguma das tintas são feitas de várias cores e outras de uma cor só. Deste modo podes sempre descobrir se a tua cor preferida é simples ou formada por várias cores. As tintas de certas canetas podem não funcionar porque não são solúveis na água. Experimenta diferentes canetas e diferentes papeis.
E porque se separam as cores? As diferentes cores das canetas de feltro são por vezes obtidas misturando cores. Por exemplo, pinta amarela por cima de azul. O que obténs? A água dissolve a pinta que pintaste no papel e as diferentes cores que a formam movem-se na água mais depressa ou mais devagar. A cor que for mais longe da pinta é a cor que se move mais depressa.


Um Peixe de Papel.
Objetivo
Uma experiência que ilustra o efeito da tensão superficial .

Descrição
Essa é uma divertida experiência que demonstra o efeito da tensão superficial. Corte uma figura na forma de um peixe com um longo corte e um furo circular (veja ao lado). Coloque o peixe cuidadosamente sobre a superfície da água em uma bacia ou travessa longa. Pingue uma gota de óleo ou detergente no furo central do peixe. Em poucos segundos ele começa a se mover através da água.

Análise
A tensão superficial é uma propriedade dos líquidos que causa uma espécie de contração na superfície formando uma fina pele elástica. Para uma explicação mais completa desse interessante efeito veja nossa seção especial sobre a TENSÃO SUPERFICIAL. Faça uma busca em nossas páginas.
O óleo ou detergente diminui a tensão superficial da água no furo e se espalha pelo corte longo formando um jato que impulsiona o peixe.
Experiências como esta, de tensão superficial, costumam dar trabalho pois dependem muito do material usado. Se começar a dar problemas, tente outra experiência.

Material
Uma bacia ou travessa longa.
Óleo vegetal ou detergente líquido.
Um peixe recortado em papel.

Dicas
Experimente com óleo comestível ou detergente de cozinha e use o que funcionar melhor.


Moeda e Inércia
Arranje um copo (de preferência de plástico transparente) e um pedaço de papelão que cubra bem a boca do copo. Coloque o copo em cima de uma mesa e o papelão em cima do copo. Depois coloque uma moeda bem no centro do papelão.
Segure o copo com uma das mãos e dê um peteleco certeiro no papelão.
O que vai acontecer ?
O papelão vai sair voando e a moeda vai cair dentro do copo. Pois de acordo com o princípio da inércia, um corpo tende a se manter em repouso. Assim, quando bate no cartão bruscamente a moeda tende a se manter em repouso e cai dentro do copo.

Massa Maluca

• jornal
• xícaras de medida
• 1 xícara de amido de milho
• vasilha ou panela grande
• corante de alimento (opcional)
• 1/2 xícara de água

Cubra uma mesa ou um balcão com o jornal.
Coloque o amido de milho na vasilha. Adicione uma ou duas gotas de corante de alimento (Não importa a cor). Adicione lentamente a água, mexendo o amido de milho e a água com as mãos até que o pó esteja todo úmido.
Continue adicionando a água até que a Massa Maluca fique parecendo um líquido se você mexe devagar. Depois, com seu dedo ou com uma colher, tente dar tapinhas na superfície da massa. Quando a Massa Maluca estiver no ponto, não vai espirrar--vai parecer sólido. Se sua Massa Maluca estiver muito seca, coloque mais água. Se estiver muito úmida, coloque mais amido de milho.
Brinque com sua Massa Maluca!

• Pegue um pouco na mão e aperte. Pare de apertar e deixe escorrer entre seus dedos.
• Coloque seus dedos na superfície da Massa Maluca. Sem mexer, deixe-os afundar até o fundo da vasilha. Depois, tente puxar a mão bem rápida. O que aconteceu?
• Peque um pouco e enrole entre suas mãos para formar uma bola. Pare de enrolar a bolinha. A Massa Maluca vai escorrer entre seus dedos.
• Coloque um brinquedo pequeno de plástico na superfície da Massa Maluca. O brinquedo fica na superfície ou afunda?


Passas Bailarinas!
Um truque realmente engraçado você pode fazer fácil, fácil, e encantar os amigos. São as passas bailarinas, que bailam ao sabor de bolinhas de ar! Usaremos de um refrigerante (guaraná, coca-cola, soda limonada etc.) e uvas passas. Corte-as ao meio e coloque-as no saboroso líquido gaseificado de sua escolha. Você verá que elas afundam e, em seguida, sobem e mergulham novamente, diversas vezes.

O que acontece?
O refrigerante contém quantidade apreciável de gás CO2 (dióxido de carbono), dissolvido no líquido sob pressão. Bolhas de gás formam-se na superfície da uva passa, fazendo com que a densidade do conjunto se torne menor do que a do líquido, e por isso ela sobe. Quando a passa atinge a superfície, parte das bolhas estoura ou se desprendem e a densidade da passa torna-se então maior do que a do líquido, e elas afundam. O processo se repete até que a quantidade de bolhas formadas não seja suficiente para que os pedaços de passas flutuem.


Colando gelo num barbante
Material necessário: gelo, bacia com água, barbante, sal e colher.

Um experimento bacana para você aprender. Coloque água em um copinho descartável (até a boca) e deixe no congelador da geladeira. Após o congelamento da água, retire o gelo do copinho e mergulhe numa bacia com água. Corte um pedaço de barbante e coloque-o sobre o pedaço de gelo, tome um pouco de sal numa colher e adicione sobre a superfície do gelo, junto com o barbante.

O que acontece?
O sal derrete o gelo, que molha o barbante. Mas pouco tempo depois à água congela novamente agora junto com o barbante, pois ainda há muito gelo. Assim é possível levantar o gelo sem mexer nele, apenas segurando a extremidade do barbante.


Batatas Choronas
Material:
• Duas batatas inglesas cruas
• Uma faca sem ponta (ou uma faca de plástico)
• Uma colher de café
• Sal
• Açúcar
• 5 pratos descartáveis
• Guardanapos de papel (ou Papel toalha)
• Caneta de retroprojeção ou fita crepe

1. Corte as batatas ao meio.
2. Faça um buraco, utilizando a colher, no centro de 3 metades de batata.
3. Seque bem as metades de batata com papel toalha ou guardanapo.
4. Marque 3 pratos, escrevendo com caneta de retroprojetor ou usando a fita crepe: "açúcar", "sal" e "controle". Os outros 2 pratos serão marcados com "açúcar" e "sal". Os pratos devem estar limpos e secos antes de começar a experiência.
5. Coloque uma metade de batata em cada um dos pratos descartáveis, com o buraco voltado para cima. Se por acaso você não conseguir colocar as metades em pé, você pode fazer um corte plano no lado oposto ao buraco da batata para que ela fique equilibrada no prato. PEÇA AJUDA DE UM ADULTO!
6. Adicione uma medida de açúcar no buraco da batata marcada "açúcar" e uma medida de sal no buraco da batata marcada "sal". Na batata marcada "controle", não coloque nada.
É importante que você coloque dentro do buraco a mesma quantidade de açúcar e de sal, nós usamos uma colher de café, mas pode ser uma tampinha de refrigerante, por exemplo.
7. Nos outros pratos sem batata, coloque uma medida de açúcar e uma de sal,
8. Aguarde alguns minutos observando para ver o que vai acontecer.

Atenção!!! Tome muito cuidado ao usar a faca para cortar as batatas ou dê preferência ao uso de faca de plástico.

Depois de alguns minutos você vai notar que tanto o açúcar quanto o sal que estão nas batatas ficaram molhados. Sem batata, nem o sal e nem o açúcar ficam molhados! O que será que aconteceu? De onde veio essa água? As batatas mudaram de cor? Mudaram de consistência? E a metade “controle”, o que aconteceu com ela? Tem água em volta das batatas, nos pratinhos, ou apenas no buraco?

O que você acabou de observar é um fenômeno chamado de osmose e acontece todo o tempo em diferentes organismos. A osmose acontece quando moléculas de água atravessam as membranas celulares de um lado menos concentrado em soluto (neste caso os solutos usados foram o sal e o açúcar) para o lado mais concentrado. Note também que a consistência das batatas que passaram pelo fenômeno de osmose mudou, agora ela está mais “mole”. A osmose aconteceu no sentido de tentar diluir o soluto adicionado. Porque não acontece a osmose no sentido inverso? Porque o sal e o açúcar não penetraram nas batatas?
A batata inglesa utilizada nesta experiência não é um fruto mas, sim, um tipo de caule subterrâneo (tubérculo). Seu nome científico é Solanum tuberosum e ela pertence à família botânica Solanaceae. A batata, como todo ser vivo, é formada por um tecido que, por sua vez, é constituído de várias células que estão bem próximas umas das outras. Sabemos, também, que 70 a 80% dos organismos são constituídos de água.
Nesta experiência, a água contida no interior das células da batata atravessa as membranas celulares por osmose: a água atravessa do lado menos concentrado em soluto (o interior da célula) para o lado mais concentrado em soluto (onde está o sal ou o açúcar).
Note que a consistência da batata mudou, agora ela está mais “mole”. Compare com a batata controle! A batata controle está bem mais firme. Isto ocorre porque as células da batata perderam água e ficaram “murchas” estas fenômeno se chama Plasmólise.
Note também que as células da batata não absorveram os solutos! Podemos dizer que as membranas dessas células não são permeáveis a estas moléculas mas são permeáveis as águas. Ou seja, nem o sal e nem o açúcar, nossos solutos, não conseguem passar através das membranas das células da batata. Esta propriedade da membrana conhecida como Permeabilidade Seletiva.

* Retiradas da Internet *

Um comentário:

  1. Professora Ana Paula,
    Fiz com meu filho a experiencia de colocar um papelão na boca de um copo com agua e virá-lo, para verificar que a agua não cai. Foi ótimo (experiencia sugerida no seu livro de ciencias naturais - marcha criança 4º ano - caderno de experiencias pag 8 - ed.scipione). Bem, o problema é como explicar o porque deste resultado a uma criança de 10 anos (pressão positiva, pressão negativa, vacuo, força G, e outras resultantes deste teste).
    Meu email é: playcar.renato@gmail.com ou esporterio@gmail.com
    Visite nosso blog: www.ongesporterio.blogspot.com
    Um abraço, Renato Chaves

    ResponderExcluir

 
© Copyright 2009-Reneide Soares. All rights reserved